09 outubro 2018

Precisamos de mais contos de época




Eu estou adorando esses livros de coletâneas de histórias curtas que estão sendo lançados ultimamente. Sempre tive uma visão um pouco negativa dos contos, não gostava de histórias muito curtas porque geralmente elas não faziam muito sentido para mim, sentia que faltava desenvolvimento e os enredos não eram tão cativantes.

 Só que ultimamente eu tenho lido histórias brilhantes que se encaixam nos padrões das Shorts Stories. Costumo pensar em contos como histórias com menos de 10 páginas ( posso estar errada, não é uma visão acadêmica). Mas no caso dos romances de época eu gosto de nomear de Shorts Stories ( ou histórias curtas) acho que o termo se encaixa melhor, porque geralmente são narrativas de 50 a 100 páginas, que tem uma trama super desenvolvida, com personagens bem construídos e um enredo com todas as características que prendem o leitor. 

E gente, essas belezinhas são fantásticas! Geralmente tem apenas um conflito central, diferente dos romances maiores em que vão surgindo diversos conflitos, e essas histórias tem me fascinado de tal modo que estou dando preferência para elas nas minhas leituras.
São romances perfeitos para quem gosta de histórias curtas, fofas e que deixam um quentinho no coração. Como as que vou indicar nesse post.

Recentemente a Editora Portal lançou esse livro, que reúne histórias curtas que giram em torno da temática “solteironas”, um dos assuntos que mais gosto nos romances de época, porque trazem personagens fortes, muito empáticas e a frente do seu tempo. Costumo me identificar muito com as solteironas, desde o inicio da minha vida de leitora de época.  
E nesse livro lindo (que eu ainda não concluí, mas vou contar a minha experiência de leitura com duas histórias incríveis presentes nessa obra, portanto esse é um post de Primeiras Impressões) a organizadora Aline Damasceno, já inicia contando que as personagens consideradas “solteironas” sempre foram as favoritas dela, me identifiquei muito com as palavras da Aline Já na Nota da Organizadora.

Então como vocês já devem ter presumido o livro tem essa proposta de trazer 6 historias curtas, criadas por diferentes autoras nacionais, com personagens consideradas solteironas. Então em 300 páginas nós conheceremos 6 protagonistas que promete nos encantar com suas lindas histórias de amor.

Tive a oportunidade de ler uma das histórias antecipadamente, a obra “Pas de Deux” da autora Caroline Salignac, e já me apaixonei logo de cara pela trama. Nessa narrativa vocês vão conhecer a Eleonora, que inda é jovem, mas já considerada solteirona pela sociedade brasileira do inicio do século XX.

 E para completar ela tem uma cicatriz na face, a qual ela ostentava desde a infância, o que era muito estigmatizado na época, todos riam dela, faziam piadinhas. Isso fez com que ela crescesse reprimida, diferentemente das moças da época que queriam se casar e viviam em função disso, Eleonora demonstrava outras aptidões, tocava violino como ninguém.
Contudo a vida dela começou a mudar após um baile de Carnaval, Quando foi induzida pela prima a ir mascarada em uma das maiores festas de Manaus, lá ela conhece um certo cavalheiro, de presença imponente, que apesar de cego, enxergar nela tanta beleza como ninguém nunca foi capaz de ver.

E a partir de então nós vamos acompanhando o nascimento de um romance fofo, e aprendendo juntamente com a personagem que cada um tem seu próprio valor e não é apenas a aparência física, ou o fato de ser imperfeito aos olhos dos outros que tem o poder de tornar alguém inferior. Essa história linda passa uma mensagem incrível e deixa a gente com aquele sorrisinho bobo no final. Além da excelente ambientação e contexto histórico, coisas que prezo muito nos romances de época.

Outra história que li, na realidade é a primeira da lista nesse livro, foi “Cartas que nunca escrevi” da autora Bruna Guerreiro. O enredo é ambientado em Paris no ano de 1918. Acompanhamos uma parte da vida da Adeline, solteirona de 30 anos, que perdeu seu grande amor na guerra. Outra história sensacional, que aquece o coração. Um romance com uma construção incrível de personagens e um romance muito lindo.

Ela mantinha uma espécie de noivado com o cunhado de sua melhor amiga, mas a guerra acaba separando-os por um bom tempo e depois permanentemente. Contudo a vida acaba lhe dando a segunda chance de viver um grande amor. Quando o irmão do falecido noivo retorna para Paris e lhe desperta sensações indescritíveis, no começo ela achou que era porque ele se parecia muito com o falecido noivo, mas depois foi percebendo algo mais.

Ambos os contos, maravilhosos, colocam em evidencia o papel feminino nos séculos anteriores, a partir da casa dos vinte e poucos anos somente as mulheres casadas tinham prestigio, aos trinta anos uma dama que nunca casou era considerada velha demais, ao passo que outra dama casada e com filhos, que tinha a mesma idade, era vista como Jovem senhora.

Nem preciso dizer que estou apaixonada por essas histórias, que super recomendo para todas que apreciam romances de época com essa temática. Estou muito curiosa para conhecer os outros contos e continuar me deliciando com essas narrativas lindas.

Esse post já ficou gigantesco, mas em outra ocasião posso trazer outras dicas de histórias curtas, se vocês desejarem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário