20 fevereiro 2018

Resenha: A verdade sobre amores e Duques - Laura Lee Guhrke

Autor: Laura Lee Guhrke
Páginas: 320
Ano: 2018
Editora:  Harlequin
Gênero: Romance de época
Compre na Amazon: Aqui
Nota: 5/5 ❤
Sinopse

Está sofrendo a dor de um amor não correspondido? Está confuso com o comportamento inexplicável do sexo oposto? Sente que não há ninguém a quem possa recorrer em busca de compreensão e aconselhamento? Não tema. Lady Truelove o ajudará.   
Henry Cavanaugh, duque de Torquil, anseia por uma vida ordenada e previsível. Mas era impossível com a família que tinha. Apenas a mãe facilitava a sua vida... até ela se apaixonar por um artista e decidir seguir o conselho amoroso de lady Truelove, largando tudo para seguir os desejos do coração. Agora Henry vai exigir que a mulher mexeriqueira que deu aquele conselho imprudente o ajude a impedir que o nome da sua família acabe na lama.   
Irene Deverill é o que a sociedade londrina considera uma ovelha negra: dirige o jornal da família, é uma solteirona e tem orgulho disso! Mas ninguém sabe que ela possui um grande problema nas mãos: o duque de Torquil demanda que ela o ajude a resolver os problemas da sua família. Esse relacionamento forçado fará Irene descobrir que Henry é mais do que um "lírio do campo" e que ele é capaz de despertar nela sentimentos que nunca pensou possuir.  

 "Eu adoro tudo o que ela escreve."  — Julia Quinn 


Olá amantes de romances de época!
Quem aí está a fim de um romance com um Duque todo certinho, uma mocinha dona de si, cheia de personalidade e com um gênio capaz de bagunçar a vida do tal duque?
Livros com esse tipo de premissa já me conquistam logo de cara, por isso fiquei bem curiosa para conhecer esse lançamento da editora Harlequin. Já tinha lido outros livros da autora Laura Lee Guhrke e me apaixonado pela escrita dela, mas esse livro superou e muito as minhas expectativas.
Henry Cavanaugh é o Duque de Torquil, seu título lhe trazia muitas responsabilidades, mas a sua incumbência mais desafiadora era cuidar da Família. Henry é aquele tipo de mocinho que coloca a família a cima de tudo. Esse é o meu tipo preferido.
Além disso, sou uma fã incondicional de romances de época com famílias numerosas, cheias de conflitos, mas todos se amam e são capazes de dar a vida uns pelos outros. Não é à toa que os Bridgertons, os Hathaways e os Bedwyns tem um lugar especial no meu coração. Mas ao que tudo indica esse livro não pertence a uma série, posso estar enganada,  não vi menção alguma que seria uma série.
O caos começa na vida certinha de Henry quando sua mãe, uma Lady respeitável da sociedade, de moral ilibada e já na casa dos 50 anos, resolve ter uma aventura amorosa.  
Mas o pior está por vir.
Como se não bastasse a Dama se envolver com um homem mais jovem e de classe bem inferior a dela, ela resolve escrever uma carta pedindo conselhos à uma tal Lady Truelove, colunista de uma revista de fofoca muito aclamada pela alta sociedade de Londres.
Acontece que essa tal Lady Truelove com o consentimento da duquesa viúva, publica a tal carta e ainda aconselha a Dama a seguir o seu coração. Apesar dessa correspondência não mencionar nomes, estava claro que se tratava da duquesa viúva que vinha mantendo um caso com um pintor. 
Em questão de horas Londres inteira saberia das indiscrições da mãe de Henry.
Para Henry a história não poderia ficar pior. Pouco mais tarde ele descobriu que poderiam sim!
Ao ser avisado de que a Duquesa Viúva não dormira em casa e nem era encontrada em lugar algum, ele logo somou dois mais dois e chegou à conclusão que a mãe havia seguido o conselho da odiosa Lady Tuelove e fugido com o amante.
Seria a ruína da família, como iria manter o rosto erguido diante dos seus pares? Suas irmãs mais jovens também seriam prejudicadas e as chances de fazerem bons casamentos seriam arruinadas. 
Não se ele pudesse impedir!
Irene Deverill ganhava a vida como editora de um jornal de fofocas. E se tinha uma coisa que ela mais se orgulhava na vida era sua profissão. 
Além de ter transformado o antigo e falido jornal da família em uns dos maiores tabloides de fofocas de Londres, ela também obteve muito sucesso com a personagem que criou para dar conselhos amorosos, Lady Truelove.
Mas trabalhar com fofocas e mexer nas feridas da alta sociedade, tinha suas desvantagens. Quando um furioso Duque de Torquil bate à sua portal acusando-a de ter influenciado sua mãe a fugir de casa com o amante e de causar a desgraça da família, ela pensou que conseguiria lidar com isso como lidava com outras pessoas furiosas que apareciam em seu estabelecimento. Além disso, tinha plena consciência de que não tinha influenciado a Duquesa, porque esta já estava bem resolvida, só precisou de um empurrãozinho rumo à felicidade.
O nosso Duque não estava acostumado a ser tratado com insolência, nem jamais havia se deparado com uma mulher de língua tão afiada como a Srta. Deverill, mas ela não sabia com quem estava se metendo.
Após ofender o Duque chamando-o de “florzinha do campo” entre outros termos não muito cordiais, ela já sabia que ele não iria deixar barato. Mas nem de longe pensou que o Duque escolheria acertar seu ponto mais fraco.
Para Irene a família também era muito importante. Sua irmã mais nova não era como ela uma solteirona convicta, era uma moça delicada que teria chances de fazer um bom casamento se tivesse a oportunidade. Seu pai, apesar dos problemas com a bebida, também precisava dela e ela o amava.
Seu trabalho no jornal além de ser sua paixão era o meio de sustento da família. 
Bater de frente com o Duque de Torquil um dos homens mais influentes de Londres, certamente não fora uma boa ideia, pois ele arrumou um jeito perfeito para se vingar dela.

Que livro!!
Que mulher!!
Esse romance já me prendeu logo na primeira pagina e eu não sosseguei até chegar a ultima, uma história delicinha de ler.
O Duque é um cara sério, muito diferente dos nobres da maioria dos romance de época que conhecemos, que são pegadores e libertinos. Henry é na dele, muitíssimo discreto em suas conquistas amorosas. 
Há quem diga que ele nunca errou na vida, mas não o conhecem e estão muito enganados.  
Nosso Duque é durão e frio por fora, mas por dentro é pura paixão e sentimento.
Quem mais me conquistou nessa história foi a Irene, que mulher! Todos que me conhecem sabem que eu gosto muito de uma mocinha de romance de época durona, segura de si e que não se rende jamais, inclusive já conheci várias mocinhas assim, mas a Irene me surpreendeu.
Ela tem uma vida do jeito que quer, nunca almejou se apaixonar e casar, era apaixonada e casada com sua profissão, algo que ela faz com muita dedicação. Tem uma língua bem afiada e não costuma deixar passar nenhum insulto. 
Henry vai penar nas mãos dessa mulher.
O melhor de tudo é que ela mantém sua personalidade forte e cativante até o fim do livro, coisa que é muito difícil de acontecer. Geralmente as mocinhas começam fortes e com muita personalidade, mas lá pela metade do livro se apaixonam e perdem sua essência, viram bobas sentimentais. Irene é diferente e por isso se tornou a minha favorita.
 Mesmo ela se apaixonando perdidamente pelo Duque e vendo toda a vida que tinha como perfeita mudar, não deixou de ser ela mesma e lutar por aquilo que achava certo.
Vocês precisam ler esse livro!!
Algumas pessoas reclamaram que o livro é um pouco parado em termos de romance e sensualidade e realmente as coisas demoram a acontecer, mas quando acontecem, meus amores... é só tiro.
Confira alguns diálogos bem tiro, porrada e bomba da Irene com o Duque. Confesso que tive uma dózinha do pobre Henry kkk:

Clique na imagem e compre o livro na Amazon

Nenhum comentário:

Postar um comentário